Image

Toma o livro e devora-o!

Tags

, , ,

“E fui ter com o anjo dizendo-lhe
que me desse o livro!
E me disse: toma e devora-o!
Ele te será amargo no ventre,
mas na boca doce como o mel.” Apoc 10, 9

sei que sou poeta porque outro dia
um anjo querubim batendo asas na noite
da minha aldeia passou por mim e de graça
me deu um livrinho de marfim e pedrarias
em branco onde só se lia uma palavra
p o e s i a

é assim como vejo as coisas deste mundo
sob o esplendente prisma da palavra dita
ou escrita em qualquer idioma legível
mesmo para um profundo analfabeto
ou até para um cego de nascença
p o e s i a

no meio de todo ‘el mundanal ruido’
com tantos decibéis e as vertiginosas
imagens que nos saltam diante dos olhos
de qualquer monitor o que me consola
e às vezes também me desola é a
p o e s i a

nada como um livro tranquilo bem escrito
em prosa corrente contendo uma bem contada
mentira ou a verdade que emana como pura
p o e s i a

silenciando todo e qualquer ruído
exterior e imergindo-me numa aura
de profundo silêncio e contemplação
onde o que conta é o encontro pessoal
a  p o e s i a   a  p o e s i a   a  p o e s i a
imagens feitas de palavras sossegadas
brilhantes alucinantes dançantes
no ritmo calado das horas mortas
da noite da minha aldeia onde um anjo
querubim só pra mim sorrindo assim…

iluminado por um poste de luz mística
transparente como essa de um fulgor
tão efêmero… das mãos
de Joseba Plazuelo García
{que aliás é meu amigo}

 

© Copyright by text&music.jrbustamante, 2018
Especial no “Dia Internacional do Livro”

© Copyright by “farola-crakelada“-creopinturas-plazuelo-garcia-joseba.illuminati.per.la.iluminacion.de.una.bombilla.fundible.y.efimera

Luna roja {para mi Candelaria}

Abgewandt
warte ich auf dich
Nelly Sachs

hambre no, un arcano
deseo te hizo morder
la manzana
y la fruta herida
guardaba el blanco
de tu sonrisa, rojo
el arco
de tus labios, dulce
el jugo
de tus besos

no más simple deseo
hambre delirante
espada y abismo
tu cuerpo
de hada anhelante

la encendida diáfana
luminosidad
de tu vientre, paisaje
de mis sueños
más violentos
mesa de ágapes
devoradores de pétalos
y piel en llamas

¿te fuíste con la luna
la gran luna roja
de ayer o te escondes
en la cabellera
de esa nube gris
que pasa por mi ventana?

© jrBustamante, 2018, text&music, de Modulaciones en sol menor

Quarteto (em si) menor

“Quarteto (em si) menor”
# 4 mo~vi~mentos #

# 1º mo~vi~mento #
A cegueira daqueles dias

Reminiscências: Filha de fazendeiro carrega resignada o conturbado destino da família e o próprio. A inesperada aparição de um fogoso cavaleiro transtorna sua vida. Órfã de mãe cedo demais, alguns anos depois perde também o pai. Morrem em acidente dois irmãos, ainda pequenos. O Caçula, ovelha negra do clã, vive longe, fora dali. O mais velho, farrista, jogador, prepotente, acaba vítima da mulher e da sogra. O mais querido, Percival, que para vingar-se eliminara o intruso cavaleiro, desaparece nas malhas da repressão policial-militar dos golpistas de abril de 64. A provável relação incestuosa entre ela e esse irmão de nome exótico, ou melhor literário, compõe o pano de fundo de uma típica história do meio rural brasileiro.

# 2º mo~vi~mento #
Natal nos trópicos

Diz-que Deus é brasileiro, não sei, nunca vi nem tentei comprovar. Maria da Conceição, José dos Prazeres, o Carapina, e o menino Jesus garanto que são. Conheci os três, faz muitos anos. O Carapina muito quieto, Maria da Conceição o contrário, falava pelos cotovelos e vivia inventando caso, e dessa “trindade tropical” o filho consta que ainda vive… andará obrando por aí.

# 3º mo~vi~mento #
Despedida

Andrômeda é nome de constelação boreal, princesa mítica e de uma belíssima ericácea. Olívia Andrômeda era um sonho de menina – estrela cadente em céu de outono. Olívia Andrômeda de Bom Jardim não quis dizer adeus, prometeu voltar e até hoje!… onde está? onde estará? Vivo à procura.

# 4º mo~vi~mento #
Tema e variações
{Monólogos em paralelo}

O encontro de duas rodas girando em sentido contrário sobre trilhos paralelos, por vezes arqueados no tempo, ou por um intrincado sistema de carretilhas só poderia ser acidental… acidentado?
A roda-mestra [♂]e a roda-viva[♀] buscarão cada uma seu rumo e trajetória, cujo(s) lugar(es) e tempo(s) são como jogos de dados. Mas também pode não ser nada disso.

Qualquer semelhança com pessoas reais é cabível e aliás plenamente intencionada, podendo coincidir ou não com quem pareçam, se é que realmente parecem com alguém. Pessoalmente não o creio.
O jeito é dissimular, lavar as mãos e sair de fininho.