Ah, essas mãos (raízes)…

La vida y la muerte entran por la raíz…
ése es el misterio. (Juan Miró)

Raízes da terra retorcidas rotas
folhas coloridas caídas ao léu

braços desesperados saltando as águas
e o perfil da serra pra chegar ao céu

onde fulge um sol com mil raios de fogo
em douradas centelhas de déu em déu

imagem de alma arrasada pela dor
de um mero ser sem esperança alguma
em busca de um sonho que talvez se oculte

atrás do horizonte em fundo negro-azul
e verde-ouro brilhante quase fosco
mesclados para dar sentido à busca

ah, essas mãos raízes desesperadas
num movimento ascensional até o sol

onde quem sabe se esconde uma deusa
de olhos glaucos como os olhos do pai

que escute a minha dor meu amargo clamor
por um breve e eterno instante
de amor de amor de amor

Simbiosis artística
con Jose Plazuelo y su cuadro “paisaje.la.hoja.es.un.pensamiento.del.arbol.regado.del.inconsciente”
(espacios de color imbuidos)

Copyright © text&music – jrBustamante 2018

 

Image

Toma o livro e devora-o!

Tags

, , ,

“E fui ter com o anjo dizendo-lhe
que me desse o livro!
E me disse: toma e devora-o!
Ele te será amargo no ventre,
mas na boca doce como o mel.” Apoc 10, 9

sei que sou poeta porque outro dia
um anjo querubim batendo asas na noite
da minha aldeia passou por mim e de graça
me deu um livrinho de marfim e pedrarias
em branco onde só se lia uma palavra
p o e s i a

é assim como vejo as coisas deste mundo
sob o esplendente prisma da palavra dita
ou escrita em qualquer idioma legível
mesmo para um profundo analfabeto
ou até para um cego de nascença
p o e s i a

no meio de todo ‘el mundanal ruido’
com tantos decibéis e as vertiginosas
imagens que nos saltam diante dos olhos
de qualquer monitor o que me consola
e às vezes também me desola é a
p o e s i a

nada como um livro tranquilo bem escrito
em prosa corrente contendo uma bem contada
mentira ou a verdade que emana como pura
p o e s i a

silenciando todo e qualquer ruído
exterior e imergindo-me numa aura
de profundo silêncio e contemplação
onde o que conta é o encontro pessoal
a  p o e s i a   a  p o e s i a   a  p o e s i a
imagens feitas de palavras sossegadas
brilhantes alucinantes dançantes
no ritmo calado das horas mortas
da noite da minha aldeia onde um anjo
querubim só pra mim sorrindo assim…

iluminado por um poste de luz mística
transparente como essa de um fulgor
tão efêmero… das mãos
de Joseba Plazuelo García
{que aliás é meu amigo}

 

© Copyright by text&music.jrbustamante, 2018
Especial no “Dia Internacional do Livro”

© Copyright by “farola-crakelada“-creopinturas-plazuelo-garcia-joseba.illuminati.per.la.iluminacion.de.una.bombilla.fundible.y.efimera

Luna roja {para mi Candelaria}

Abgewandt
warte ich auf dich
Nelly Sachs

hambre no, un arcano
deseo te hizo morder
la manzana
y la fruta herida
guardaba el blanco
de tu sonrisa, rojo
el arco
de tus labios, dulce
el jugo
de tus besos

no más simple deseo
hambre delirante
espada y abismo
tu cuerpo
de hada anhelante

la encendida diáfana
luminosidad
de tu vientre, paisaje
de mis sueños
más violentos
mesa de ágapes
devoradores de pétalos
y piel en llamas

¿te fuíste con la luna
la gran luna roja
de ayer o te escondes
en la cabellera
de esa nube gris
que pasa por mi ventana?

© jrBustamante, 2018, text&music, de Modulaciones en sol menor