Tags

,

Filiação

às vezes minha terra é meu pai
às vezes minha terra é minha mãe

meu pai é o cheirinho de capim
cortado e do mato em floração

minha mãe é a terra molhada
dos pingos da chuva no verão

meu pai é aquela peroba ali
copa verde o tronco macho
des’tamanho ó!

a mãe uma jabuticabeira
carregadinha e doce como quê

minha terra —
é mais saudade ou remorso?

só sei que dói por dentro
apertando igual sapato novo
não o pé o joelho a canela
ou a cabeça ou a bunda
e sim a alma o peito de alguém
(com cisma de poeta)
longe da terra
longe da mãe
longe do pai
(ai!)

© by j.r.Bustamante / do livro «Nem ostras nem ostracismo», 2008, Hirschberg, Alemanha, BOD Edition (COLEÇÃO PESSOAL) All rights reserved