Quero acabar entre rosas, porque as amei na infância
(Fernando Pessoa / Álvaro de Campos)

 

Entre rosas ou jasmim
pé de manacá buganvília
o principal é o jardim
onde peço depositarem
no mais grave silêncio
o que resta de mim

creci entre plantas e flores
do campo e assim quero acabar

quem sabe brote das cinzas
um talo de flor cheirosa
com perfume de jasmim
ou de rosa e a cor viva
que contraste com a morte
que deve permanecer no solo
invisível e domada pela força
da natureza e pelo vigor
da beleza única da flor

por isso peço silêncio
pra não assustar demais
o cheiro dormido no corpo
inocente da flor

e que se esqueçam de mim
do que fui ou não pude ser
pois que entre um suspiro
e o nada o único que conta
é a ausência de sentido
de nossa presença
na ilusão deste mundo

O que vivi? Era tão bom dormir!

© Copyright by text&music – jrBustamante, 2018

do livro de poemas «Versos dispersos»